CPH4 sintético existe? O que é essa substância do Filme Lucy?

Será que a droga CPH4 realmente existe? No filme “Lucy”, eles apresentam essa substância como sendo uma droga sintética. Ainda no filme, após uma parte do conteúdo ser liberado no organismo da personagem que leva o nome do filme, ela começa a perceber que as suas capacidades físicas e mentais estão a aumentando de forma gradativa, e que ela está começando a desenvolver habilidades como: poder viajar no tempo, telecinesia e telepatia, por exemplo.

Mas, será que a substância C.P.H.4 existe mesmo? Se existe, ela tem toda a capacidade apresentada no filme? É o que vamos descobrir mais abaixo. Continue lendo que vamos desvendar todos os mistérios que envolvem essa substância.

CPH4 na Gravidez

Na verdade, CPH4 é uma enzima passada da mãe para o bebê durante a gestação. O nome científico, em inglês, é 6-carboxytetrahydropterin.

A substância C.P.H.4 é liberada por gestantes após 6 meses de gravidez, mas em quantidades bem pequenas. Não se trata de uma droga, e sim de uma molécula que a mulher produz naturalmente durante a gravidez, de acordo com o diretor do filme.

A função dessa enzima é ajudar na formação do feto, dos seus ossos e estrutura em geral.

CPH4 Sintético Existe?

droga cph4 do filme lucy

As drogas sintéticas são misturas de substâncias que precisam de meios químicos para serem produzidas. Sendo que os seus componentes ativos principais não podem ser encontrados na natureza. Ao contrário do que acontece com a enzima CPH4, que é produzida no corpo da mulher.

CPH4 no Filme Lucy

Lucy (Scarlett Johansson), uma jovem norte-americana que estuda em Taipé, Taiwan, é obrigada a transportar uma droga sintética chamada CPH4. Por meio de um procedimento cirúrgico, a droga é inserida dentro de seu estômago, para que pudesse ser transportada sem ser descoberta. Após levar vários golpes na barriga, a droga acaba sendo liberada no organismo de Lucy, que começa a absorvê-la.

Como consequência, Lucy começa a sentir inúmeras alterações mentais e físicas provocadas pela droga, e que lhe conferem verdadeiros poderes sobre-humanos, como a ausência de dor, força, telecinesia e muito mais, pois faz com que a personagem do filme vá usando toda a capacidade do seu cérebro gradativamente. E, conforme vai aumentando a porcentagem do cérebro utilizada, aumentam também os seus poderes.

A partir de então, ela começa uma verdadeira corrida à procura de uma forma de parar os efeitos do CPH4 em seu organismo e conseguir salvar a sua própria vida.

filme lucy

Filme Lucy

Foi aí que, ao pesquisar na internet, Lucy descobre Samuel Norman (Morgan Freeman), professor universitário, que se dedica em pesquisar o cérebro humano e todas as suas possibilidades. Lucy, então, deposita toda a sua confiança no trabalho do professor Norman, visto que ele era a maior autoridade no assunto.

Lucy também procura pelas demais “mulas”, que foram usadas para transportar a CPH4, pois acredita que, para prolongar a sua vida, ela precisa recuperar a droga que causou tudo isso.

O princípio fundamental desse filme é de que os seres humanos só usam 10% da sua capacidade cerebral. E que a utilização dos 90% restantes, inexplorados até então, representa um mundo de competências a serem exploradas.

Caso conseguíssemos usar uma maior porcentagem, passaríamos a desenvolver coisas inacreditáveis, inclusive superpoderes, como aconteceu com a personagem do filme. Mas é claro que o filme retrata uma realidade fictícia.

2 Comments

  1. Tite
    • Paulo Costa

Add Comment