A história da cerveja

A cerveja já existe muito antes do que imaginamos. A maioria das bebidas produzidas com cereais nos últimos 8.000 anos é hoje considerada como cerveja. Há mais de quatro mil anos antes de Cristo, os babilônios já fabricavam em torno de 16 tipos de cervejas usando trigo, mel e cevada. Até os incas fazem parte da história da cerveja, pois já saboreavam uma cervejinha produzida com grão de milho.

E podem acreditar: já nessa época existia um controle de qualidade rigoroso, um código de lei chamado “Hamurabi da Babilônia” – isso mais ou menos a cerca de 1.770 antes de Cristo. Tal lei rezava que, quem diluísse a cerveja que vendia, poderia ser imposta sobre ele a pena de morte.

 História da cerveja na Alemanha

história da cerveja

Não tem como falar de cerveja sem citar a Alemanha. Não é atoa que essa bebida é tão famosa por lá. Isso vem de longa data, monges aperfeiçoavam a bebida através da tecnologia e serviam como distribuidores, e no século 14, no norte da Alemanha em uma cidade chamada Hamburgo, encontrava-se o centro cervejeiro da época, concentrando em torno de mais de mil mestres do ramo.

Até por esse motivo, existem hoje cervejas que são tão especiais que seus fabricantes usam termos associados à Alemanha para exaltar o valor da cerveja. Provavelmente você já deve ter visto algum termo desse tipo: “É uma cerveja que segue a lei de pureza alemã”.

Chegada da cerveja no Brasil

Essa bebida tão famosa demorou um pouquinho para chegar ao Brasil, os culpados foram os portugueses, pois eles tinham um receio muito grande de perderem sua “fatia do bolo” das vendas de seu famoso vinho.

Na verdade, a Antarctica é uma grande propulsora da bebida em nosso País. Em 1885, onde inicialmente funcionava um abatedouro de porcos movimentado por alguns sócios Brasileiros em São Paulo, um Alemão que já era proprietário de uma pequena cervejaria despertou interesse por tal indústria, já que lá também funcionava uma fábrica de gelo.

Nasceu daí uma sociedade e criaram a primeira fábrica de cerveja do país. Deram o nome de Antarctica para a cerveja, o que já se destacou, pois na época não existia o costume de se nomear o produto, na maioria eram comercializadas em barris; e as que eram engarrafadas não recebiam rótulo. E assim começou toda sua história no Brasil.

A popularidade das Cervejas

O Brasil passou da fase colonial para a República em 1889, isso facilitou o crescimento de empresas – o que ajudou a nossa em questão, e em 1891 foi oficialmente fundada a Companhia Antarctica Paulista.

Em 1893 houve uma desvalorização da moeda e a Antarctica esteve por decretar falência, mais sob nova administração com novos acionistas majoritários, a empresa se reorganizou e passou a produzir muita cerveja e refrigerantes.

Em 1905 adquiriram o controle acionário da Cervejaria Bavária, em 1961 a ANTARCTICA comprou a cervejaria Bohemia, a mais antiga do Brasil, em 1972 comprou a Polar e a Cervejaria de Manaus. Começaram a fazer exportação para os EUA, Europa e Ásia em 1979, e em 1980 adquiriu também o controle da Cervejaria Serrramalte.  Em 1994, adquiriu a Cervecera Nacional, na Venezuela, e no ano de 1999 a ANTARCTICA fundiu-se com a Brahma, formando a AmBev.

Mulheres nos Comerciais de Cerveja

mulher nas propagandas de cervejasE assim a cerveja segue até hoje ganhando mercado e crescendo demasiadamente, e vez ou outra surgem marcas novas. O sucesso dessa bebida deve-se tanto ao gosto do Brasileiro pela famosa loirinha que faz a alegria de tantos, como também ao marketing apelativo de mulheres exuberantes e com poucas roupas.

Já que citamos o caso da Antárctica, nada melhor do que usar o exemplo do comercial protagonizado por Juliana Paes que ganhou o país com a expressão, “A BOA” e deixou a marca fortemente assim conhecida. E dessa forma, a cerveja marca gerações e acompanha o Brasileiro em muitos momentos de sua vida. E quando essa paixão se junta à outra como o futebol, aí é que tudo vira alegria.

Espero que tenha gostado da história da cerveja. Leia também a história do Yahoo Respostas. Forte abraço.